Select Page

Por que o feminismo é necessário?

Por que o feminismo é necessário?

O ano de 2019 começou com diversas notícias sobre feminicídio, violência doméstica, mortes por homofobia e crimes de racismo. Claramente, estes crimes não são um fenômeno recente, porém, tem ganhado mais destaque, após movimentos sociais se mobilizarem contra estes atos, principalmente o movimento feminista e o LGBT.

Entretanto, tem uma boa parte da sociedade, que tem discriminado tais movimentos, principalmente o feminista, uma vez que acreditam que o feminismo seja o contrário de machismo, uma ideia equivocada por não entenderem o conceito.

Portanto, esta matéria tem o objetivo de esclarecer o movimento e entender o porquê do feminismo ser necessário.

Para isso, é preciso trazer conceitos de teóricos das ciências sociais, que acompanham este fenômeno social e tem descrevido sobre ele a décadas.

Segundo Hall (1992), o feminismo iniciou-se durante os anos sessenta, nesta época, o feminismo era considerado parte dos “novos movimentos sociais”, um grande marco da Modernidade Tardia.

Hall, destaca a importância desse movimento histórico, ressaltando alguns tópicos: o feminismo se opunha contra o capitalismo do ocidente e o “stalinismo do ocidente”; suspeitam das formas burocráticas de organização e política; é um movimento que, também, criticavam (criticam) a “identidade social da maioria e minoria”.

Assim, o movimento feminista, “lutava (luta) pelas mulheres, a política sexual aos gays e lésbicas, as lutas raciais aos negros, os movimento ambientalista, aos pacifistas, entre outros movimentos que prezem pela “minoria”” (HALL, 1992).

Em suma, presume-se que, “(…) o movimento feminista, que surgiu com maior força nos anos 60 e tem maior impacto na modernidade tardia, movido por jovens que suspeitam de instituições burocráticas, prezam pelos direitos dos desfavorecidos como mulheres de modo central e geral, gays, lésbicas, LGBTs e pessoas que sofrem racismo, sempre com intuito revolucionário e cultural. O feminismo questionou o empoderamento masculino, sobrepondo outro conceito de papéis para gêneros sexuais. Para o movimento feminista, homens e mulheres devem possuir a mesma identidade como seres humanos e os mesmos direitos dentro de instituições em que mulheres eram desfavorecidas” (FRANÇA, 2016).

O movimento feminista, também questionou e favoreceu as mudanças dos sujeitos modernos e contemporâneos. Questionando o determinismo (uma corrente de pensamento que defende a ideia de que as decisões e escolhas humanas não acontecem de acordo com um livre-arbítrio, mas sim através de relações de casualidade, se nasce pobre será pobre, se nasce rico será rico, só se é inteligente porque se nasceu assim etc.).

O feminismo questionou, também, o sujeito cartesiano e sociológico, criticando, por sua vez, os limites impostos pela sociedade, por meio dos conceitos de “dentro” e “fora” o “privado” e o “público”, bem como, as divisões do trabalho e os papéis sociais, e questionou, como a sociedade é educada e explorada, e as lutas de gênero (HALL, 1992).

Segundo Manuel Castells (1996), o feminismo tem identidade de resistência, pois tem poder transformador na sociedade, por meio da luta hegemônica.

Isso, significa que, o movimento feminista questiona e luta pela sociedade fragilizada, pois, a partir do conceito de “público e privado” e de “dentro e fora”, entende-se como funciona o preconceito e o racismo. Quantas notícias reportam a abordagem com os negros em locais públicos e privados, por exemplo: se uma pessoa negra anda com uma vestimenta desvalida, logo são abordados, se tornam suspeitos e são desprezados pelos demais. Uma pessoa negra, diferente das pessoas de tonalidades claras, não podem sair de casa de qualquer maneira ou se portar de maneira espontânea, pois sempre estão passiveis de suspeita. Bem como a situação da população pobre, que não pode usufruir de direitos que os pertencem, por não terem poderes aquisitivos.

A sociedade em sua maioria, não entende o conceito de “direitos”, acham que estar em transportes públicos danificados, pagando mais do que podem, é normal, ou acreditam que os estudantes só podem ter passe estudantil se forem merecedores, ao invés de entender que, ser estudante, o coloca na posição de merecedor de qualquer transporte público, independentemente da posição social em que esteja. Bem como, o papel da saúde pública, que é de direito de todos os cidadãos do país, porém a maioria acredita que só os pobres devam utilizar.

Cabe frisar, a questão dos papeis sociais.  Em muitos países não tem mais que 15 anos que as mulheres podem votar. No Brasil apenas a 86 anos. Em países lusófonos da África, conquistaram pouco menos de 30 anos. Fora, a posição de cargos trabalhistas, que chamavam de “trabalhos para mulheres”, como o trabalho de doméstica, professora, secretária, dona de casa etc. E ainda assim, boa parte da sociedade tem crido que estas funções só diz respeito às mulheres.

O movimento feminista, não é apenas sobre vestimentas e questionar o machismo, o feminismo teve e tem o papel transformador na sociedade. Afim de evitar fatos e tragédias como tem acontecido tão frequentemente em nosso país, que bate recorde em feminicídio e crimes contra homossexuais e negros. Crimes estes, que todos publicam em suas timelines com indignação, mas repudiam um movimento que é contra isso.

O feminismo é necessário para que crimes, como aconteceu com a empresária Elaine Caparróz, não aconteça, por ela ter o direito de sair ilesa de um primeiro encontro e não ser espancada durante quatro horas. Para que crimes como o que aconteceu no Hipermercado Extra da Barra da Tijuca no RJ – em que o segurança enforcou o jovem Pedro Gonzaga até seu falecimento, pois apesar de estar sob efeito de drogas, era necessário apenas a imobilização do jovem e não seu sufocamento, mesmo o rapaz já desacordado – não aconteça.

O feminismo é necessário, para que crimes igual ao do Leonardo, jovem e negro da favela, não seja confundido com bandido, apenas pelo fato dele ser negro.

Para que mulheres, como Veigma Martins, moradora do DF, não sejam esfaqueadas em seu próprio apartamento e não sejam ateado fogo contra elas, pelo simples fato de um homem não concordar com suas escolhas, a escolha do término de um relacionamento.

O feminismo é necessário, em casos de jovens LGBTs, morrerem por querer ser quem eles são. Como o caso do jovem de 17 anos, que teve um cano de pressão introduzido no anus, por aparentar ser afeminado no serviço, e os colegas, considerados machos, apenas “fizeram uma brincadeira de mal gosto”, que resultou no falecimento do jovem, devido à pressão, que foi tão devastadora que, além de estourar o intestino grosso, a vítima teve os pulmões comprimidos, travando as válvulas respiratórias, complicações no esôfago, tendo no final uma parada cardíaca.

O feminismo é necessário, para que a sociedade tenha o privilégio de usufruir do próprio “direito” de ir e vir, dos próprios direitos de serem cidadãos, como expresso na constituição, é necessário para que a sociedade usufrua da democracia, como rege a lei.

Então, a ideia de que feminismo é o contrário de machismo, é um equívoco que precisa ser eliminado da sociedade, pois o feminismo pede igualdade, pede respeito e exerção dos direitos. É por isso que o feminismo é necessário.

Advertisement

Sobre o autor

Elizabeth França

Graduada em Letras pela Universidade Católica de Brasília e mestranda em Linguística na Universidade de Brasília (UnB), possuo experiência em revisão de trabalhos acadêmicos (artigos, TCCs, dissertações e teses) e aplicação das normas ABNT. Escrevo poemas e produzi um livro. Atualmente trabalho como redatora/revisora freelancer e dou aulas particulares.

O que achou da publicação?

avatar
1500
  Receber atualizações  
Me notifique