Select Page

Na Ditadura que era bom?

Tenho escutado por aí já faz algum tempo pessoas dizendo que no tempo da ditadura civil-militar não era tão ruim assim, e que o cidadão de bem que não fazia nada de errado não precisava se preocupar.

Será mesmo?

Pra começar, é importante dizer que o grupo mais atingido pela repressão (em termos absolutos) foi o dos próprios militares, apontaram as investigações da Comissão Nacional da Verdade (CNV). Cerca de 6.500 sofreram algum tipo de repressão – foram perseguidos, presos, torturados ou expulsos das corporações. O crime deles foi terem sido fiéis ao governo legítimo do João Goulart (como juraram fazer), defenderem a ilegalidade do golpe (eram os chamados legalistas) ou ainda a se recusarem a cumprir ordens, como é o caso de militares que se recusaram a participar de torturas e assassinato de inocentes. A oposição ao regime tanto não tinha força e/ou organização que os próprios militares fomentaram atentados terroristas, como divulgamos recentemente em reportagem inédita da Agência Pública aqui no site.

No vídeo acima coloquei o depoimento do Brigadeiro Rui Moreira Lima, herói da Segunda Guerra Mundial e que eu tive a honra de entrevistar quando trabalhei na CNV. Ele foi preso logo após o golpe, em 1964, por ser legalista e fiel ao presidente João Goulart. Também não poderia ter deixado de recuperar o relato da comerciante Ana Beatriz Fortes, que na época era uma estudante sem nenhum envolvimento com grupos políticos, mas isso não a impediu de ter sido torturada.

Ditadura: Memória vs História

É fundamental não confundirmos a memória (e opinião) pessoal de uma pessoa, como seu avô ou algum colega, com a história daquele período. E para entender a diferença entre memória e história a Sabrina do canal Tese Onze e o Icles do canal Leitura Obrigahistória fizeram um vídeo excelente que eu recomendo:

Num estado de exceção, não há como saber se você será ou não atingido – e você não possui liberdade para criticar eventuais casos de corrupção e/ou excessos sem ser perseguido. Confira aqui 10 histórias de corrupção durante o regime militar.

Obrigado pela leitura, não deixe de curtir e compartilhar este texto e os vídeos, e de se inscrever no nosso novo canal e no Tese Onze.

Até a próxima!

 

Fontes

http://www.fab.mil.br/noticias/mostra/14073/LUTO—FAB-chora-a-perda-do-her%C3%B3i-Major-Brigadeiro-Rui-Moreira-Lima

http://cnv.memoriasreveladas.gov.br/outros-destaques/263-cnv-ouve-16-militares-perseguidos-pela-ditadura-em-audiencia-publica.html

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/03/140331_comissao_verdade_versao_cluster

https://oglobo.globo.com/brasil/comissao-da-verdade-investiga-violacoes-sofridas-por-militares-contra-golpe-6412384

http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2015-08/repressao-da-ditadura-alcancou-grupos-sociais-dizem-pesquisadores

http://www.brasil.gov.br/noticias/cidadania-e-inclusao/2014/12/violencia-sexual-foi-pratica-disseminada-durante-ditadura-revela-relatorio-da-cnv

https://voyager1.net/historia/sabe-aquele-papo-de-que-a-ditadura-so-matou-vagabundo-entao-e-mentira/

https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/6-crimes-hediondos-cometidos-contra-criancas-durante-a-ditadura-militar-50sx6odlxx04sngz56ridwdmm/

https://oglobo.globo.com/brasil/em-documento-forcas-armadas-admitem-pela-primeira-vez-tortura-mortes-durante-ditadura-13998824

Sobre o autor

Thiago Vilela

Graduado em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), estudei Belas Artes na Universidade do Porto (Portugal) e Artes Gráficas na RedZero (Full Sail University). Trabalhei como Assessor de Imprensa e Editor de Vídeos na Comissão Nacional da Verdade (CNV) e hoje sou Assessor de Imprensa na Câmara dos Deputados.

1
O que achou da publicação?

avatar
1500
  Receber atualizações  
mais novo mais antigo mais votado
Me notifique
Elizabeth
Visitante
Elizabeth

Muito interessante e importante esses relatos sobre a Ditadura ou Regime militar, antes de julgarmos valorosamente alguma coisa, devemos estudar ou ao menos pesquisar informações dos dois lados da história, e pelo que vi e entendi, são histórias bem reais.