Select Page

Erasmus Mundus Journalism: como fazer mestrado de graça na Europa!

Erasmus Mundus Journalism: como fazer mestrado de graça na Europa!

As inscrições para o Mestrado Erasmus Mundus Journalism estão abertas e há ofertas de bolsas integrais!

Por Isabela Bonfim.

Esse é o programa em que estou estudando agora e consiste em dois anos de mestrado em dois países diferentes da Europa. O primeiro ano é na Dinamarca e o segundo pode ser em Amsterdam, Londres, Swansea ou Hamburgo, dependendo da sua escolha de especialização. Vou usar esse post para responder dúvidas mais frequentes e tirar outras dúvidas. Então se você tem alguma pergunta, pode fazer aqui na sessão de comentários.

Se você quer fazer um mestrado na Europa com bolsa, mas não necessariamente em jornalismo, o programa Erasmus Mundus oferece mestrados em quase todas as áreas do conhecimento. Todos os programas são de dois anos em pelo menos dois países diferentes. A bolsa é a mesma para todos. Não vou saber responder perguntas sobre outros programas que não o de jornalismo, mas fica aqui o link para quem for de outras áreas.

 

Perguntas e Respostas sobre o Erasmus Mundus Journalism

 

QUAIS SÃO AS EXIGÊNCIAS PARA SE INSCREVER NO ERASMUS MUNDUS JOURNALISM?

– Diploma de bacharelado: não precisa ser em Jornalismo. Muitos alunos vêm das Ciências Políticas, Relações Internacionais ou Letras. Pode ser de exatas também, mas você vai precisar demonstrar experiência em jornalismo, interesse e vontade de trabalhar na área.
– 3 meses de experiência em jornalismo (vale estágio)
– Certificado de proficiência em inglês IELTS no mínimo 7.0 (não, não vale Toefl e nem nenhum outro teste, só IELTS)

COMO FUNCIONAM A INSCRIÇÃO E A SELEÇÃO?

O processo é muito simples e consiste em apenas uma etapa: envio de documentos e formulário de inscrição online. Não tem entrevista, dinâmica de grupo, vídeo, gincana ou outras palhaçadas. É bem simples mesmo.

A parte difícil é realmente juntar todos os documentos, por isso recomendo que comece o quanto antes. Você vai precisar de: Tradução juramentada do diploma e histórico escolar da graduação; certificado IELTS; amostras do seu trabalho como jornalista (em caso de publicações em outras línguas que não inglês, você deve incluir um resumo sobre a sua matéria); cartas de recomendação (profissionais e acadêmicas, no mínimo uma de cada categoria); passaporte; e um formulário de inscrição que inclui algumas perguntas sobre por que você gostaria de fazer o curso, por que escolheu sua especialização, etc.

As inscrições se encerram em 10 de Janeiro. Eu sugiro que você marque o seu teste IELTS para, no máximo, um mês antes dessa data para ter tempo suficiente de receber o resultado por correio e incluir na sua candidatura.

EU PRECISO TER UMA PROPOSTA DE PESQUISA DE MESTRADO?

Não, não precisa. Você vai desenvolver sua proposta de pesquisa durante o Erasmus Mundus Journalism.

QUAIS SÃO AS ESPECIALIZAÇÕES?

– Universidade de Amsterdam: Media & Politics
– Universidade de Hamburgo: Journalism and Media across Cultures
– City, Universidade de Londres: Business and Financial Journalism
– Universidade de Swansea: War and Conflict

Não posso dar informações tão específicas sobre cada programa, porque estou fazendo apenas um. Mas posso dizer que todos os mestrados são muito mais voltados para a teoria, com exceção do mestrado em Londres, que é mais ligado à formação profissional. Em Londres você não precisa fazer dissertação, pode fazer um produto. Qualquer dúvida sobre o curso na Dinamarca e em Londres, pode perguntar. Também posso indicar pessoas para tirar dúvidas sobre os outros lugares.

EU PRECISO SABER A LÍNGUA DO PAÍS EM QUE FOR ESTUDAR?

Não, todas as aulas são ministradas em inglês e todo mundo fala inglês perfeitamente na Dinamarca e na Holanda. Os alemães são mais resistentes, mas eles também falam bem inglês. Você não vai ter nenhum problema com idioma.

EXISTE LIMITE DE IDADE PARA A BOLSA?

Não.

QUANTO É A BOLSA? DÁ PRA VIVER COM A BOLSA?

A bolsa cobre todas as mensalidades (tuition) da universidade mais um salário de 1.000 euros por mês. Além disso, há um auxílio de viagem no valor de 3.000 euros por ano e um auxílio instalação de 1.000 euros no primeiro ano. A bolsa não cobre custos com emissão de vistos e passaportes ou passagens. Você só começará a receber a bolsa quando chegar na Dinamarca.

Então você terá que fazer alguns gastos anteriores ao recebimento da bolsa. Mas assim que chegar, receberá o primeiro salário e todos os auxílios referentes ao primeiro ano, ou seja, você poderá pagar pelas passagens e gastos anteriores.

A Dinamarca é um dos países mais caros do mundo e o aluguel em Londres é muito alto, embora todo o resto seja mais barato que na Dinamarca. Mas o valor é suficiente para viver bem durante o mês e eu particularmente não precisei de nenhum outro auxílio e não tirei nada do meu bolso. Tudo depende do seu estilo de vida. Mas eu vivi tranquilamente e viajei quase todos os meses. Eu nunca trabalhei aqui.

POSSO TRABALHAR DURANTE O MESTRADO?

Sim, com o visto de estudante você pode trabalhar até 20h por semana durante as aulas e período integral durante as férias. Entretanto, eu não contaria com me sustentar e pagar os custos do mestrado (caso eu não tivesse bolsa) com trabalho aqui no exterior. Na Dinamarca é praticamente impossível conseguir um emprego na área devido às limitações de idioma. As opções de trabalho são em limpeza e bares. No segundo ano é mais fácil de conseguir trabalhar, especialmente nos países de língua inglesa (Inglaterra e País de Gales).

É DIFÍCIL CONSEGUIR UMA VAGA?

O programa recebe em média 500 aplicações por ano e eles selecionam por volta de 100 alunos. Apenas 20 possuem bolsa. Mas não é difícil ser aceito, na verdade é bem fácil. Especialmente para nós brasileiros com formação em jornalismo e experiência em estágio e trabalho em redação. Na maioria dos países europeus, não existe bacharelado em jornalismo. Boa parte desses estudantes estudam jornalismo só no mestrado. Você estará muitos passos à frente dos demais concorrentes.

Mas é difícil conseguir a bolsa? Relativamente. Eles se importam muito com seu desempenho acadêmico. Então seu histórico escolar conta muito. Além das cartas de recomendação e demonstração do seu trabalho.

Eu me inscrevi e fui admitida no programa duas vezes. Na primeira vez, eu tinha saído da universidade há um ano, tinha experiência de estágio em redação, Curso Abril e Curso Estado de Jornalismo Econômico e estava trabalhando no Estadão. Consegui a vaga, mas não consegui a bolsa. Na segunda vez, reuni mais cartas de recomendação à minha aplicação, no meu currículo entraram a cobertura do impeachment e a participação na investigação Panama Papers. Consegui a bolsa.

Mas você não precisa ser da grande mídia para conseguir a bolsa. O programa valoriza muito a mídia alternativa e inovação. Se você participa de projetos com menor capilaridade, mas que tem inovado em jornalismo, jornalismo na sua comunidade e jornalismo digital, você também terá muitas chances de conseguir a bolsa. Muito mais do que quem está em jornalão.

Informações sobre o curso, os módulos e as aulas podem ser encontradas no site. Mas também me coloco à disposição para responder qualquer pergunta mais específica sobre o assunto.

Podem perguntar por aqui. Boa sorte a todos!

O que achou da publicação?

avatar
1500
  Receber atualizações  
Me notifique