Estressado com o algoritmo do Facebook, que fica mostrando toda hora as mesmas coisas na sua linha do tempo? Cansado do Twitter? De saco cheio de Instagram?

Seus problemas acabaram!

Ou quase…

Imagine um mundo sem redes sociais. Assim, para ler uma notícia, você tinha que abrir o navegador (Chrome, Opera, Firefox etc) e digitar o endereço do site. Ou pesquisar pelo site no Google (o que já foi uma revolução, na época).

Só que isso não era nada prático. Então, para tentar resolver isso, o RSS foi criado. Ainda era 1999.

Resumindo bastante, o RSS é um padrão desenvolvido para que sites e blogs divulguem seu conteúdo não só pelos próprios sites, mas através de aplicativos de terceiros. Estes aplicativos são chamados leitores RSS. Assim, ao invés de acessar o site da Folha, do Globo, do UOL etc, o usuário entrava, por exemplo, no Google Reader (hoje descontinuado). Em um só lugar podia ler todas as notícias dos sites que adicionasse lá.

O feed ou feed RSS, era a linha do tempo antes do Facebook. A diferença é que não existia algoritmo. Se um site que você seguisse publicasse um conteúdo novo, ele apareceria no seu feed, na ordem cronológica.

Não ter algoritmo é o principal motivo para usar o RSS

Você provavelmente já deve ter ouvido falar de como funciona a linha do tempo do Facebook. A rede sabe tudo que você lê, clica, curte e conversa. A partir disso, um algoritmo gera conteúdo que acha que você vai gostar. Assim, aos poucos, aquele tipo de opinião que você não curte pára de ser mostrada. E é assim que são criadas as “bolhas sociais”. Pretendo fazer um texto sobre isso em breve, mas o Castanhari, do Canal Nostalgia, resumiu bem nesse vídeo abaixo. São apenas seis minutos, vale ver:

Lembrando que não é só o Facebook quem faz isso, mas Google, Twitter, Instagram etc. E RSS tem tudo a ver com bolha social.

Ou melhor, RSS tem a ver com furar a bolha

Precisamos parar de terceirizar nossos gostos pessoais e políticos. Usando um aplicativo RSS, você continuará tendo acesso a todo tipo de conteúdo que quiser. Inclusive páginas do Facebook, Twitter, Youtube etc. Só que você estará no controle.

Claro, não adianta querer sair da bolha e criar um feed só de sites com opiniões que você já concorda. Se você se identifica com a direita, inclua um ou outro site de esquerda, como nós do OCOMPRIMIDO (rs), Carta Maior, AntiCast etc. Se você é de esquerda, adicione o Canal do Otário, Mercado Popular, dentre outros. Adicione a imprensa tradicional, os “jornalões”, pelo menos os principais. Evite sites panfletários, de ambos os lados, porque não vão te ajudar a entender o outro lado, pelo contrário.

Eu acredito que existe, em praticamente qualquer ideologia política, pessoas boas. Que realmente acreditam que suas ideias vão transformar o mundo em um lugar melhor. No mesmo sentido, sempre existem pessoas mau intencionadas que querem lucrar na desinformação dos outros. Por isso, a informação que consumimos é muito importante.

Talvez valha a pena um texto só sobre sites interessantes dos mais diferentes espectros políticos. Quem tiver interesse, por favor, deixe um comentário no site. Agora, para finalizar o texto, falta só mais uma coisa.

PS: toda vez que você ver um botão, geralmente laranja, com símbolo parecido com o de uma rede Wifi, é um link para o feed RSS. Assim, fica fácil encontrar.

rss

Escolhendo o leitor RSS ideal

Já que todos sabemos o que é RSS, chegou a hora de escolher um aplicativo para chamar de seu.

Feedly

Acessa conteúdo majoritariamente pelo celular? É daqueles que não tem paciência pra ficar configurando o aplicativo? Feedly é a escolha. Não é por acaso que ele tem 14 milhões de usuários e é o maior leitor de RSS do mercado. É muito fácil de usar. A única falha para os brasileiros é não ter versão em português. Tem versão para qualquer sistema operacional móvel e pode ser acessado no navegador.

A conta gratuita dá acesso a praticamente todos os recursos, mas há uma versão paga com funcionalidades extras.

The Old Reader

Para quem quer um aplicativo mais “RSS raiz”, The Old Reader é a escolha. Não quer dizer que seja ruim, mas é tudo menos intuitivo e possui menos recursos. O interessante é que não há um aplicativo oficial, assim, qualquer um pode pegar a API pública e criar seu próprio app. Tem aplicativo até para o Symbian (sistema que usavam nos celulares lá em 2010) e programas para Windows/Mac/Linux. No site há tutoriais em português de como usar e configurar o serviço.

Além de gratuito (tem opções pagas, sem propaganda), uma vez configurado é um aplicativo leve e com a interface limpa.

Inoreader

Usuários mais “intensos” provavelmente vão escolher o Inoreader. Se você for um usuário premium, pode ler, por exemplo, notícias de sites que são exclusivas para assinantes (não testei se funciona com todos os sites brasileiros, mas você pode testar o serviço pago por 30 dias). Outra opção interessante é criar regras personalizadas. Assim, você pode receber notificação só de determinados sites, por exemplo. Ou ainda configurar para que determinado conteúdo chegue sempre no seu email.

Possui versão em português, e o plano gratuito é bem completo. Mostra banners de propaganda.

Tiny Tiny RSS

Essa opção é para o usuário realmente avançado. Ao invés de depender de aplicativos de terceiros, porque não criar o próprio aplicativo? O Tiny Tiny RSS é isso, um programa open-source que pode ser instalado localmente (no seu computador) ou num servidor. Assim, você terá seu próprio leitor e agregador de notícias. A comunidade é bem ativa, tendo criado plugins e até integração com o Android. Ainda não tive tempo de testar o serviço, mas pretendo, em breve. Eu uso uma solução parecida para armazenas minhas senhas com mais privacidade, mas aí é papo para outro texto.

Este artigo foi livremente inspirado num texto que li na Wired há alguns dias. Eu ia simplesmente traduzir o artigo, mas, como eles não permitem reprodução, decidi escrever do zero mesmo, e acabou ficando melhor. O importante é não deixar esse assunto morrer! RSS é a melhor maneira de nos mantermos bem informados sem depender de algoritmos que estão mais interessados no lucro.

Enfim, ficou com alguma dúvida ou sugestão? Não deixe de comentar aqui embaixo e de me seguir no Instagram e no Facebook, para acompanhar de perto o meu trabalho. Eu sei que existem centenas de outros leitores RSS por aí, esses são só os que eu achei mais importantes. Não deixem de pesquisar ainda mais, e de adicionar este site no seu feed. Até a próxima!